Seja bem-vindo. Hoje é

18 de jan de 2010

Identidade



Preciso ser um outro
para ser eu mesmo

Sou grão de rocha
Sou o vento que a desgasta

Sou pólen sem inseto

Sou areia sustentando
o sexo das árvores

Existo onde me desconheço
aguardando pelo meu passado
ansiando a esperança do futuro

No mundo que combato morro
no mundo por que luto nasço

Mia Couto,
in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"

2 comentários:

  1. Lindissimo poema,

    Existo onde me desconheço
    aguardando pelo meu passado
    ansiando a esperança do futuro

    Adoro Mia Couto

    beijinhos
    sonhadora

    ResponderExcluir
  2. Lindíssimo blog... indispensável. Marque-me pra eu o marcar, de aqui não o posso. Tentarei noutra máquina.

    Por te descobrir,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir