Seja bem-vindo. Hoje é

1 de jun de 2009

Outra Madalena


(Paint by Anton Raffael Mengs)

Mede com as mãos o espaço
de uma vida. Não sabe como se chamava,
quando viveu, que idade tinha
quando amou pela primeira vez. É
pura matéria o que tem pela frente,
e o frio do osso entra por ela,
pedindo uma conclusão. Mas
que pode ainda dizer? Nenhuma certeza
nasce do pó; e só um antigo
fogo reveste de saudade
a penumbra que a atormenta,
aquecendo-lhe o coração
onde pulsa o medo do mundo.


Nuno Júdice

2 comentários:

  1. Dizer o que depois de ler mais este poema de Nuno Júdice, um dos poetas que muito admiro...
    Linda semana para ti
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Quem gosta de poesia ten de gostar deste blog!

    ResponderExcluir