Seja bem-vindo. Hoje é

16 de out de 2013

Entras em mim descalça, vulnerável


...

Entras em mim descalça, vulnerável
como um alvo próximo, ferida
nos joelhos e nas coxas. Pelo tacto
nos conhecemos, é essa luz
oblíqua que nos cega. E te pertenço
e me pertences como
a lâmina
à bainha, a chama
ao pavio.

***
Onde é mais surda
a floresta
aí te penso
e escuto.

***

Com teus lábios
colhes
as maçãs precoces
do desejo.

***
Ao deserto
dos teus ombros
ofereço
os meus lábios.

***
Um gesto subtil
pode sem querer
pulverizar a pele,
calcinar abril.

***
O verde mais tenro morreria
se agora aflorasse a nossa pele.

Albano Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário