Seja bem-vindo. Hoje é

15 de out de 2013

SECURA VERDE


SECURA VERDE

É verde esta secura, como é verde
a raiz duma planta que secou.
Posso ter o corpo aberto
e não mostrar o que sou.

Meus versos podem ser tristes
e eu ter profunda alegria.
Aves noturnas que buscam,
inquietas, a luz do dia.

Albano Martins
in Secura Verde e outros poemas-1950-1953-

Nenhum comentário:

Postar um comentário